Wednesday, May 10, 2006

Elogio do Amor


"Há coisas que não são para se perceberem. Esta é uma delas.Tenho uma coisa para dizer e não sei como hei-de dizê-la. Muito do que se segue pode ser, por isso, incompreensível. A culpa é minha. O que for incompreensível não é mesmo para se perceber.
Não é por falta de clareza. Serei muito claro. Eu próprio percebo pouco do que tenho para dizer. Mas tenho de dizê-lo. O que quero é fazer o elogio do amor puro. Parece-me que já ninguém se apaixona de verdade. Já ninguém quer viver um amor impossível. Já ninguém aceita amar sem uma razão.
Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido. Porque é mais barato, por causa da casa. Por causa da cama. Por causa das cuecas e das calças e das contas da lavandaria.
Hoje em dia as pessoas fazem contratos pré-nupciais, discutem tudo de antemão, fazem planos e é mínima merdinha entram logo em "diálogo". O amor passou a ser passível de ser combinado. Os amantes tornaram-se sócios. Reúnem-se, discutem problemas, tomam decisões.
O amor transformou-se numa variante psico-sócio-bio-ecológica de camaradagem. A paixão, que devia ser desmedida, é na medida do possível. O amor tornou-se uma questão prática.
O resultado é que as pessoas, em vez de se apaixonarem de verdade, ficam "praticamente" apaixonadas.
Eu quero fazer o elogio do amor puro, do amor cego, do amor estúpido, do amor doente, do único amor verdadeiro que há, estou farto de conversas, farto de compreensões, farto de conveniências de serviço.
Nunca vi namorados tão embrutecidos, tão cobardes e tão comodistas como os de hoje. Incapazes de um gesto largo, de correr um risco, de um rasgo de ousadia, são uma raça de telefoneiros e capangas de cantina, malta do "tá bem, tudo bem", tomadores de bicas, alcançadores de compromissos, banançides, borra-botas, matadores do romance, romanticidas.
Já ninguém se apaixona? Já ninguém aceita a paixão pura, a saudade sem fim, a tristeza, o desequilíbrio, o medo, o custo, o amor, a doença que é como um cancro a comer-nos o coração e que nos canta no peito ao mesmo tempo?
O amor é uma coisa, a vida é outra.
O amor não é para ser uma ajudinha. Não é para ser o alívio, o repouso, o intervalo, a pancadinha nas costas, a pausa que refresca, o pronto-socorro da tortuosa estrada da vida, o nosso "dá lá um jeitinho sentimental".
Odeio esta mania contemporânea por sopas e descanso. Odeio os novos casalinhos.
Para onde quer que se olhe, já não se vê romance, gritaria, maluquice, facada, abraços, flores. O amor fechou a loja. Foi trespassada ao pessoal da pantufa e da serenidade.
Amor é amor. É essa beleza. É esse perigo.
O nosso amor não é para nos compreender, não é para nos ajudar, não é para nos fazer felizes. Tanto pode como não pode. Tanto faz. é uma questão de azar.
O nosso amor não é para nos amar, para nos levar de repente ao céu, a tempo ainda de apanhar um bocadinho de inferno aberto. O amor é uma coisa, a vida é outra.
A vida às vezes mata o amor. A "vidinha" é uma convivência assassina.
O amor puro não é um meio, não é um fim, não é um princípio, não é um destino. O amor puro é uma condição. Tem tanto a ver com a vida de cada um como o clima.
O amor não se percebe. Não é para perceber. O amor é um estado de quem se sente.
O amor é a nossa alma. É a nossa alma a desatar. A desatar a correr atrás do que não sabe, não apanha, não larga, não compreende.
O amor é uma verdade. É por isso que a ilusão é necessýria. A ilusão é bonita, não faz mal. Que se invente e minta e sonhe o que quiser.
O amor é uma coisa, a vida é outra.
A realidade pode matar, o amor é mais bonito que a vida. A vida que se lixe. Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem.
Não é para perceber. É sinal de amor puro não se perceber, amar e não se ter, querer e não guardar a esperança, doer sem ficar magoado, viver sozinho, triste, mas mais acompanhado de quem vive feliz.
Não se pode ceder. Não se pode resistir.
A vida é uma coisa, o amor é outra.
A vida dura a Vida inteira, o amor não.
Só um mundo de amor pode durar a vida inteira. E valê-la também."



Miguel Esteves Cardoso in Expresso

125 comments:

  1. Estás mesmo apaixonado Alvim... O meu sonho era ter um homen apaixonado por mim assim...lindo. RM

    ReplyDelete
  2. Concordo plenamente com o texto embora tenha certeza absoluta que existe uma excepçao a tudo o que la esta escrito...eu!!ahahaha Sou estupida o suficiente para estar a espera de um amor Hollywoodesco...é pena hoje em dia as pessoas acharem que só devem amar o "suficiente" para não se magoarem...Prestam mais atençao as regras sociais do que aos detalhes e pormenores de uma relaçao...pura e simplesmente não concebem a ideia de serem generosos ao ponto de pensaram no outro...estamos num mundo egoista em que ninguem acredita que se pode confiar noutra pessoa e que caso ela nos diga pa soltarmos as mãos e confiarmos, elas vão lá estar para nos segurar...
    Bem não tenho muito mais para dizer sobre isso..passo a vida a pensar no mesmo e a mim so me dizem para parar de voar e assentar os pés no chao...p isso, só me resta sonhar c um sentimento avassalador, transcendeste, surreal, especial e único que eu sei que anda por ai...
    beijoooo

    ReplyDelete
  3. Sem dúvida k este texto traduz a realidade do Amor nos tempos k correm...Os gestos românticos deixaram de ser gestos românticos para passarem a ser vistos como gestos de psicopatas...Hoje em dia se alguém envia flores a uma pessoa especial é visto como tendo segundas intenções e smp das piores, nunca das boas...Antigamente escreviam-se cartas ás pessoas amadas, hoje quem escreve uma carta de Amor sabe k o seu destino é o caixote do lixo...Nos dias k correm se me sinto fascinado por alguém não o posso mostrar pois a pessoa em questão ao saber disso perde o interesse, logo eu tenho de me transformar num actor de Hollywood e mostrar k sou um tipo cool, não mostrando que gosto de estar na companhia dela, dando-lhe pra trás, fazendo ciúmes com outra pessoa k nada me diz, enfim... Porque será que não posso dizer apenas: "Gosto de ti!"
    Alvim, não te transformes num anti-romancista e continua a dar-nos toda a tua magia através da escrita que eu considero absolutamente genial.És um ídolo!

    Forte Abraço

    TC

    ReplyDelete
  4. foda-se, q até se me estalou o coração! :S não podia ter lido isto em melhor altura!

    "Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem."

    ReplyDelete
  5. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades.Citando uma figura do nosso futebol..."O que hoje e verdade amanha é mentira."Quando em outros tempos se acreditava que amor e fogo que arde sem se ver deparamo-nos hoje com a máxima a cavalo dado não se olha o dente.Enfim canalha por ai seguimos e por ai vou eu andando.Saude.

    ReplyDelete
  6. Já conhecia há alguns anos este texto, tal como outros apontamentos geniais dos livros de MEC.

    Mas soube TÃO BEM relembrar...
    Obrigado, Capitão...

    ReplyDelete
  7. Também tenho este texto num post no meu blog!:)
    Como escreveu o poeta "Amar é mudar a alma de casa."
    Simplesmente

    ... " deixar a alma desatar a correr"...

    Beijinho*

    ReplyDelete
  8. interessante...bem, vou ando que tenho de estudar museologia mas gostei de passar aqui.

    ReplyDelete
  9. Amor, encontramos esse sentimento em tudo o que de mais importante existe em nós. Amar é ter a capacidade de não deixar corroer esse sentimento que se sente apenas e não se explica, por tudo aquilo que tenta devorar o mais limpido dos sentimentos, pela vida como refere o autor do texto. Acho que só somos grandes se deixarmos esse sentimento inalterável a mutações enquanto existirmos. Amar apenas, viver o grande orgulho de saber Amar.Ps: Gostei do teu blog, vou voltar. Smile

    ReplyDelete
  10. "Hoje as pessoas apaixonam-se por uma questão de prática. Porque dá jeito. Porque são colegas e estão ali mesmo ao lado. Porque se dão bem e não se chateiam muito. Porque faz sentido."
    Felizmente, tenho o prazer de dizer que contrario esta tendência. O meu namoro nao dá jeito nenhum, é uma relação Lisboa-Londres, nada prática. Mas têm sido tempos muito felizes! Ler este texto fez-me ter ainda mais certeza que estou a viver o amor puro.
    E não posso deixar de citar o essencial:
    "Num momento, num olhar, o coração apanha-se para sempre. Ama-se alguém. Por muito longe, por muito difícil, por muito desesperadamente. O coração guarda o que se nos escapa das mãos. E durante o dia e durante a vida, quando não esta lá quem se ama, não é ela que nos acompanha - é o nosso amor, o amor que se lhe tem."
    O MEC resumiu tudo. Ele é genial e tu também. Obrigada por partilhares este texto connosco. Um beijo*

    ReplyDelete
  11. ora com a sua licensa vou roubar e postar lá no meu tasco, pode ser? bjs

    ReplyDelete
  12. É por estas e por outras que o MEC tem aqui uma admiradora.

    ReplyDelete
  13. k interexante..tb tnh ixto postado la no meu space ja a algum tempo..por ixo so poxo dizer k tens mt bom gosto!!:PPPPP

    ReplyDelete
  14. mas... não será apenas o Amor Puro que todos desejamos... lá bem no fundo do nosso ser?

    ReplyDelete
  15. Ai Ai acho que o Alvim tá apaixonado!!!! aconteçe até aos melhores(risos).
    Mas agora a sério grandes palavras de 1 grande escritor, jornalista que escreveu até hoje aquela que eu considero 1 das melhores crónicas que já li no "Expresso" já lá vão para ai uma dezena de anos no minimo, e que tem 2 livros expectaculares 1 é "O Amor é Fodido" e "A Causa das Coisas" entre vários outos que já escreveu se ainda houver alguem que não conhece que vá a correr comprar vale cada centimo gasto

    ReplyDelete
  16. Gostei muito...Ainda bem que há pessoas que ainda pensam assim...

    Eu quero um amor assim, forte e incondicional, alguém que lute por mim, ultrapassando todos os possíveis obstáculos...Um verdadeiro cavaleiro andante ;)Não quero um amor menor...um amor cómodo...Acho que merecemos mais do que isso...há que exigir o melhor e não algo assim-assim...

    ...Afinal é o amor que dá sentido a este mundo...e a realidade somos nós que a fazemos...
    Quero um dia olhar para o lado e ver a pessoa que amar ali, partilhando comigo todos os momentos importantes e suspirar de felicidade..

    ReplyDelete
  17. a rapariga que passa na ruaMay 12, 2006 6:56 PM

    Já a florbela dizia:"eu quero amar, amar perdidamente...".E nós continuamos a acreditar que isso seja, um dia, possível.Infelizmente há pessoas que ficam esquecidas quando alguém deu as cartas.amor??desconheço

    ReplyDelete
  18. Mas que texto lindissimo! Por vezes sinto-me revoltado por acharem (os meus amigos)que a minha maneira de sentir o Amor é diferente... Eles dizem que sou parvo em acreditar no true love porque isso não passa de uma ilusão da minha cabeça. Apesar de tudo, continuo a acreditar (por mais sofrimento que isso me traga).
    Estas "novas" maneiras de amar, só faz com que gajos e gajas da minha idade (20)passem a vida a curtir a torto e a direito mas sempre sem conhecerem a verdadeira essência do Amor! Acusam-me de viver noutro mundo, ser um pobre tolo que sente demais, ser sentimentalista... enfim, o que à partida até eram qualidades, têm-se tornado verdadeiros obstáculos...
    Já estou a falar demais.
    Nestes tempos ainda haverá espaço para o Amor Verdadeiro? Quem me dera que sim...

    ReplyDelete
  19. Adoro este texto... realmente se há coisa que é inexplicável e incompreensível é o amor.

    ReplyDelete
  20. Á uns tempos atrás fui ver um filme ao cinema... O filme falava de algo que se encontra perdido à muito... Falava de sacrificios, de dedicação e conquista.
    Chamaram-lhe de elizabethtown... Claire (Kirsten Dunst) é uma hospedeira de bordo que encontra num passageiro o calor que lhe faltava na vida. Vejam... E depois compreenderão algumas coisas...

    ReplyDelete
  21. roça a perfeição..adoro.

    ReplyDelete
  22. texto que sintetiza tudo o que penso e sinto...

    já o postei há bastante tempo. ;)

    ReplyDelete
  23. muito lindo alvim!! ja agora: http://cordanagarganta.blogspot.com!

    ReplyDelete
  24. muito lindo alvim!! ja agora: http://cordanagarganta.blogspot.com!

    ReplyDelete
  25. Que giro... também publiquei um post sobre este texto, em Fevereiro. Um belo texto, sem dúvida.

    ReplyDelete
  26. excelente mm !!!

    ReplyDelete
  27. Alvim, tás todo queimado pá!!! DASSSS!!!!!


    O Coiso e Tal...

    ReplyDelete
  28. Amor .. por muito que se tente, nunca ninguém irá conseguir explicá-lo numa "folha de papel" , mas foi uma boa tentativa do Miguel :P Lo0ol

    está bonito :)

    ReplyDelete
  29. Que é que esta malta anda a fumar?

    ReplyDelete
  30. RibeirinhódependenteMay 17, 2006 5:47 PM

    Alvim ja soube do acidente de mota...as melhoras para esse dedinho! =(

    ReplyDelete
  31. alvim, entao que percalço foi esse? Recupera depressa..um beijão

    ReplyDelete
  32. Este texto está uma verdadeira delicia!!!!

    ReplyDelete
  33. Que grande texto...Faz-nos sentir td.Tudo aquilo que é impossivel dizer, que é impossivel descrever, que apenas se pode sentir.O verdadeiro Amor é incondicional, é aquele que nos assalta a existência, que nos leva a cometer loucuras, que nos leva á perdição...e é esse que vale realmente a pena.Por muito que nos possa fazer sofrer é sempre bom amar e ser amado na verdadeira essência da palavra...
    Bjs***

    ReplyDelete
  34. o_O ............................................................

    ReplyDelete
  35. Gostaria de dizer que achei lindo, mas na verdade, não gostei do que li.
    O amor não pode ser rotulado, e é vivido de maneira diferente por cada pessoa. Para o Miguelinho, que diz odiar os novos casalinhos (sintoma de quem é mal amado, pois quem ama de coração não odeia nada), a paixão quase doentia parece ser a forma de amor verdadeira. Pode ser assim para ele, mas para mim não é. Aos meus olhos, o homem que amo é perfeito com todas as suas imperfeições. O abraço dele tornou-se na mais inexplicável forma de cura para mim. Sei que o amo por isso, e por inúmeras outras coisas das quais poderia falar, mas não vou.
    Sinceramente, é mesmo do prepotente Miguelinho impor uma ditadura do verdadeiro amor aos outros... ele que vá pregar para outro lado, que a mim não me convenceu. Mais parece um puto de quinze anos a quem as hormonas só agora começaram a saltar!

    ReplyDelete
  36. lindo
    fabuloso...

    ReplyDelete
  37. Já conhecia o texto....mas sempre que o leio fico de lágrimas nos olhos. Preferia que isso não acontecesse mas há palavras que são demasiado certeiras ao coração.
    Um beijo

    ReplyDelete
  38. Freirinha DiabólicaMay 19, 2006 8:53 PM

    Alvecas, que grande susto nos pregas.t né?
    Ve-se recuperas rapido,
    Bjinhos de rápidas melhoras

    ReplyDelete
  39. A banalidade das relações nao deve ser confundida com o Amor. O Amor existe sim... O problema é que as pessoas têm medo de Amar.. se sofrer.. e preferem as facilidades..
    Amar é bom... Já amei... Agora será amis dificil, mas nunca se sabe...

    Beijinho

    ReplyDelete
  40. o que aconteceu com o alvim? nunca mais o vi no CC , alguém sabe?

    ReplyDelete
  41. oh alvim pa_as melhoras, mas raaaaaaapido!!! idolatro-t_!beijinhoooo grande!!! [o txt ja tinha dito k é fenomenal. . .lindo, k APENAS estála tudo]

    ReplyDelete
  42. Alvim ja tas em casa,ne? vi hoje no jornal..melhora depressa, para semana espero ver-te a apresentar o CC e o prazer dos diabos..
    com que entao pareces o Xanana? ate como estás, és divertido!..grande susto k nos pregaste..um beijão

    ReplyDelete
  43. Era só para dizer que o que não nos mata, torna-nos mais fortes, não era o que dizia o senhor dos bigodes??? Êhhh, eu cá acho que o que não nos mata, às vezes também não engorda, mas amassa...
    Mais umas costuras para contar histórias...
    Vê lá se não acabas como eu, em carne para canhão!
    Mas afinal, não vamos todos, mas tarde ou mais cedo virar bifes?? E olha que tu tens uns ricos lombos, Alvim...

    Beijos goooordos e muuuuiiito melados.

    A Vaca

    P.S. Não saí da cowparade, e nem sequer lá entrei... ninguém me convidou... Mas ainda bem, ainda acabava raptada e num jardim qualquer a conviver com uma Nossa Senhora fluorescente e os 7 anões em neon.

    ReplyDelete
  44. Na última 2º feira o Alvim disse, a propósito da feira mística, que praticava acumpuntura. Julgo que este interregno da sua prestação nos media se deve a uma nova experiência nesta arte milenar: A acumpuntura consiste em que nos espetem coisas (agulhas, no caso), o Alvim está a tentar uma variação, isto é, espetar-se ele contra as coisa...

    ;)

    muuuuuu

    ReplyDelete
  45. Coitadinho, coitadinho...

    Alvim, Alvim...

    Se quiseres ser o meu boy, eu serei a tua Cow!!!

    ReplyDelete
  46. e é tão raro encontrá-lo...

    ReplyDelete
  47. Alvim, as melhoras aí por causa do teu acidente, vê lá se segunda já tás na prova oral. Abraços

    ReplyDelete
  48. Espero que já estejas melhor,

    beijinhos

    ReplyDelete
  49. Se lerem este texto em fases distintas da vossa Paixão o "sentido" do mesmo é totalmente adverso. Se estiverem apaixonados, ou se estiverem enamorados, ou simplesmente casados, ou distraidamente descomprometidos, o impacto do conteudo vai do "Lindo" ao "Lamechices"!
    Experimentem ler isto com a vossa mulher(marido), a vossa(o) amante, com a amiga(o)!

    ReplyDelete
  50. O texto está muito bom. Concordo plenamente...

    ReplyDelete
  51. Concordo inteiramente com ele. Já não há amor com gritos, bofetadas e declarações de amor público que nos envergonham na altura mas que ficam para sempre guardadas no baú das nossas recordações.
    Alvim espero que estejas bem, e volta ao cc,(se estiveres disfigurado volta á msma que fazes falta!,e aliás em ti um ollho negro deve ser bem sexy,....não?)

    ReplyDelete
  52. O Amor,coisinha esquesita...n sei quem teve a infeliz ideia de O inventar...
    Para mim é td fruto dos pormenores,dos detalhes..n preciso de grandes declarações,nem de palavras vagas,demasiado românticas...
    Basta um sorriso,um beijo,basta sentir o k o outro sente,saber k ele sabe o k sinto...
    O texto está giríssimo mesmo assim=)

    ReplyDelete
  53. Realmente és Ganda Maluco!
    Quem te ve na TV pareces um Ganda Machão!! No fim na intimidade um pinga amor. Continua apaixonado... faz-te bem!

    ReplyDelete
  54. No comments... no bom sentido, claro!
    texto excelente!

    ReplyDelete
  55. Capitão Alvim!!! :D Tá melhor? :F achei q isto vai-te curar! se sequires as pistas (lol):

    http://images.google.com/imgres?imgurl=http://www.babaloons.com/nocalcharacters/images/blue.JPG&imgrefurl=http://www.babaloons.com/nocalcharacters/blue.htm&h=325&w=237&sz=20&tbnid=_JcRoE1m_-NcsM:&tbnh=114&tbnw=83&hl=pt-BR&start=15&prev=/images%3Fq%3Dblue%2Bdog%26svnum%3D10%26hl%3Dpt-BR%26lr%3D

    ReplyDelete
  56. ficaste mais bonito depois do acidente..a sério...a pancada na cabeça é que é maior

    ReplyDelete
  57. oi alvim! o teu post ta fixe! comenta o meu blog k eu a patir de agora comexo a comentar o teu.
    PS: aproveito pa dzr k o teu novo blog ta mais fixe e k es o melhor apresentador do cc

    ReplyDelete
  58. Não quero saber como aqui vim parar, nem quero saber de quem é o Blog e muito sinceramente não me interessa saber se alguém vai ou não ler isto. Quero apenas "desabafar " onde ninguém me conhece e onde o tema é o que me "atormenta".
    Pouco tempo depois da minha desilusão ..encontro este texto que me diz tudo e que me define. Ou talvez não.
    Não deixei de acreditar no amor, muito menos em alma gémea. E acima de tudo sei que vou combater os "padrões deste século" e envelhecer ao lado de alguém que acredite que nunca se deixa de amar. E não. Não estou perdida num Mundo do faz-de-conta. Sei onde estou e para onde vou. Quero pensar que me guardo de corpo e alma para alguém k o mereça. Ainda há sentimentos verdadeiros e puros. Tem de haver.
    Sei que o vou esquecer.

    ReplyDelete
  59. Este texto está muito bom, é sem dúvida uma fotografia da nossa sociedade que apenas procura o mais cómodo, o mais fácil...

    mas mesmo assim a definição de amor que mais gostei de ouvir vem do próprio
    Fernando ALVIM "algo que não começa nem termina"...

    Este senhor é um mistério aínda por decobrir...

    Espero sinceramente que consigas satisfazer a tua própria definição muitas e muitas vezes.
    Um beijinho especial para o "PERFEITO ANORMAL" :))

    ReplyDelete
  60. Que grande texto :) nos dois sentidos

    Recupera rápido

    Take care
    ****

    ReplyDelete
  61. caralho alvim... dps dum post destes tinhas que estragar td e ir pó cc dizer merdas...

    ReplyDelete
  62. concordo e nao concordo pois existem sempre excepções.
    Eu tenho arriscado muita na minha relação e tem dado resultados, vamos la ver se esta minha ultima decisão da os seus resultados e bons de preferencia.
    abracos

    ReplyDelete
  63. Adoro esse texto... e se existem excepções ainda não vi nenhuma!
    ******

    ReplyDelete
  64. eu era assim, mas disseste-me q tinha q ser mais comedida, q n é preciso fogo de artifício p dizer q se ama. e é por isso que hoje, apesar de te amar de paixão, às vezes me pergunto o q faço eu ctg a brincar aos casais neste amor mais ou menos, neste amor contido.
    e o q me entristece é a dúvida q sp pairou em mim: tens apenas dificuldade em exteriorizar o q sentes ou o teu amor é o tal de q MEC fala, o de conveniência, pq dá jeito, pq eu estava mesmo ali, pq estavas farto de procurar... Confesso que o amor que sinto é tão grande que julguei poder amar pelos dois, mas a verdade é q esse mesmo amor às vezes me parece demasiado curto.
    Bem sei que qd te falo disto, não percebes o q quero dizer (ou finges não perceber), pode ser que eventualmente um dia passes por aqui, leias estas linhas e finalmente percebas que o amor n pode cabe numa caixinha q se guarda no bolso.
    Amo-te

    ReplyDelete
  65. Vanessa MedeirosMay 30, 2006 10:11 PM

    Andará o Alvim do meu coraxao apaixonado??????quem será a sortuda??Espero q seja alguém mt especial,como ele o é!!! Mas tenho cá as minhas desconfianças....será desta q te atiras de vez á Solange?será? ...hope so! jkitas********** e melhoras prós dedinhos;P

    ReplyDelete
  66. Grande honra esta do comment nº 69.
    Sublinho as opiniões de um Alvim apaixonado, e agora de braço ao peito. O cenário está perigoso.

    ReplyDelete
  67. tas apaixonado, n restam dúvidas.será ainda a enfermeira, será a solange, será rita andrade?
    eu vejo a coisa + p a rita..ela n tem namorado, adora k tu a mimes, la no fundo a miuda sente algo pr ti, e és 1 gajo bem sortudo..um abraço

    ReplyDelete
  68. Alvim...
    o amor é tão lindo!!!! As melhoras...

    ReplyDelete
  69. Onde páras, Capitão??? Agora com menos um utensilio de trabalho é que vais ficar anos sem cá vir... Vá a ver se te recompões...

    As melhoras! :)

    ReplyDelete
  70. Muito bom. Nem lamechices parvas nem bacocas, nem frases de circunstância. Acima de tudo, uma excelente análise do que se passa nos nossos dias e muito sentimento. Mas palavras para quê? O post fala por si.
    Parabéns, há muito que não lia nada assim

    ReplyDelete
  71. Está bem que o texto não é teu, mas é de realçar que o corroboras e fazes dele palavras tuas. Daí os parabéns

    ReplyDelete
  72. Até me admira, ó Alvim, que não tenhas tecido algum comentário ao texto! E o sexo? O sexo?!!!...
    Beijinhos pa ti!
    Cláudia

    ReplyDelete
  73. Então?Queremos-te de volta!Ñ te aproveites do estado de convalescência pa ñ voltares a pôr cá os pés!
    Muito bom o texto...o nosso Alvim apaixonado!A publicar um texto destes e inda dizes k ñ és fófinho??És lindo!
    Beijos ai pró meu doente preferido! ;)

    ReplyDelete
  74. Eu sei que estás aleijadinho, mas caramba, para teclar basta um dedo! Vê lá se escreves qualquer coisa brevemente. Tens de ser mais assíduo no blog, está completamente abandonado... Desculpa lá o post que deixei há uns dias, estava um bocado maldisposta, o que até não é habitual. Fica!

    ReplyDelete
  75. Depois de tantos comentários uma pessoa até fica sem saber o que dizer. Pelo que toda a gente diz estás apaixonado. Eu nem me dignei a ler o texto...! É que só queria mesmo perguntar porque é que fazes citações no teu blog. Porque é que fazes citações no teu blog? Faltam-te as palavras? Ou alguém já descreveu alguma coisa tão bem que deixas de ter vontade de seres tu próprio a descrevê-la? Just asking...

    ReplyDelete
  76. RibeirinhódependenteJune 10, 2006 12:57 PM

    1 mês sem postar....temos de começar a fazer barulho!

    ReplyDelete
  77. Histórias Instantãneas, da revista independente, de 19 e troca o passo...

    "Cada vez que dizes que és minha lembro-me que isso de seres minha é infelizmente uma coisa que só a ti te compete dizer.
    Dum momento para o outro, podes dizer que já não és. E então?
    Se fosses minha, mesmo minha, este seria precisamente o género de coisa que eu jamais te deixaria dizer.
    Sabes lá! Eu queria que fosses minha como são as minhas mãos para que pudesse olhar para elas e fazer delas, e com elas, tudo aquilo que eu quisesse. Infelizmente, não é boa esta solução. Acho que se fosses assim tão minha perdia o amor que tenho por ti. Gosto das minhas mãos só porque posso-tas dar e pôr em cima. É tão bom. Mas não me imagino a amá-las, nem mesmo assim. Aceito, por conseguinte, que sejas minha somente enquanto decidires. Que remédio tenho eu senão aguentar o terror e a arbitrariedade do amor e das almas e das circunstâncias? Mas quero que saibas que não é por te respeitar. Odeio que sejas independente. Não compreendo a tua mania de ser diferente de mim. Mas estás à vontade.
    Para quem te ama como eu te amo, pior que seres livre, seria tu seres como as minhas mãos e fazeres parte de mim. Pior que longe, só dentro de mim, onde eu não chego nem quero ir.
    Se eu perdesse o medo de te perder ficaria sem nada. Sem ti e sem mim. E eu não posso correr esse risco - compreendes?
    Até chegarem esses dias, só te peço que sejas tão minha quanto possas e que vás reiterando, com a máxima regularidade, que me pertences. Não chega, mas já não é mau.
    Morro à mesma de medo e de ciúmes. Mas já não é mau, quando estamos nos braços um do outro, com a escuridão a estalar e as bocas assustadas de nos amarmos tanto, quando tu gritas, de dois em dois minutos «Sou tua! Sou tua! Sou tua!»
    Quero que saibas que, quando estamos doidos e até parece que pertencemos um ao outro, já não é mau, da tua parte, a simples afirmação que és minha naquele momento. Naquele momentinho já não é mau, enfim, para ir andando."

    Miguel esteves cardoso

    ReplyDelete
  78. tão pah, outra vez 300 anos sem postar! como é que é??

    ReplyDelete
  79. Treta... merda de touro (bullshit)!!
    Alvim, caro amigo, não podes de modo nenhum submeter-te a lançar composições de amor escritas por um "personagem" de orientação sexual duvidosa. Esse tal de Miguel Esteves Cardoso, para além de me parecer um caso digno de cariz homo, nem tão pouco é-lhe considerado um homem de sucesso perante o sexo oposto. Não podes fazer-te julgar por uma opinião de outrém, ainda que sejas, também, de cultura opus...

    O que não me parece, já que tenho-te como um "gand'a maluco"!!

    Digno de uma composição, merecedor da atenção de todas estas beldades que tão bem comentam no tem espaço blogista (a besta segundo José de Pina!!), deveria ser a poligamia em Portugal. Não percebo os orgãos de poder em Portugal. Se eu fosse Primeiro ou Presidente ou mesmo Ministro ou Deputado, não facrassava na minha opologia. A mulher merece.

    O trabalho de casa seria partilhado pelas 3, 4 ou mesmo 5 mulheres da casa. À noite, era demasiada coincidência terem as 5 a "tal dor de cabeça", dando mesmo para elas se resgatarem um pouco e ganhar força!!

    Para nós homens, era só futebol e cerveja, já que para ir às compras poderiam ir todas juntas...

    Isto sim, o amor louco...

    ReplyDelete
  80. entao alvim.. tu e a Solange, como vao?!

    ReplyDelete
  81. magnifico texto. o amor é um desiquilibrio um abismo imenso é um excesso mas ninguém hoje em dia quer sair da situação confortavel, demasiado confortavel onde se encontram; tanta gente que volta para relações antigas por mero comodismo....
    obrigada alvim pelo texto é realmente muito bom

    ReplyDelete
  82. Estou plenamente de acordo com o teu post. Identifico-me profundamente! É triste, mas cabe a cada um de nós reverter isso mesmo... Mas sinceramente não consigo dizer muito mais. Este texto deixou-me a pensar que afinal a sensação que tenho não é única. Que há muito mais gente com a mesma indignação. Mas no fundo, acredito que haja excepções a regra. E espero sinceramente que as haja mesmo. E afinal de contas, nós, que nos indignamos com as actuais relações por conveniência, temos a obrigação de ser essas excepções! Beijinho grande Alvim! Marisa Gomes (Estou nos teus amigos do hi5 e fiz te um comment hoje mesmo :P)

    ReplyDelete
  83. Este texto está fantástico! Ao lê-lo penso realmente no amor que se vive actualmente... e é de facto isto! Já ninguém ama desmedidamente... o que é uma pena!

    Alvim, continua-nos a presentear com textos românticos e profundos (quer sejam teus ou retirados de...)!!!
    Ah... e dizer também (já que aqui estou e porque nunca o fiz antes), li o teu livro assim que saiu e ADOREI! Continua a escrever.

    Cumprimentos a todos os que por aqui passem!

    ReplyDelete
  84. Tomei a liberdade de copiar este texto de Miguel Esteves Cardoso, e transformá-lo também n1 post no meu blog. Espero que nao te importes... Afinal de contas, faço referência ao teu blog la. =P Passa por lá qdo tiveres um bocadinho e deixa a tua marca - mas pequenina :) Beijinho*

    ReplyDelete
  85. qual é o hi5 do alvim?

    ReplyDelete
  86. É mto pouco o k s pode dizer k seja de certo modo original em relação aos posts anteriores, mesmo assim não consigo deixar passar este texto fantástico sem uma referência.

    Também já tenho saudades de sentir o amor por inteiro, sem reservas, medos. Faz falta amar de coração inteiro!

    Vamos passar este texto! É um crime deixá-lo aki fechado!!!

    Obrigado Miguel...Obrigado Alvim

    ReplyDelete
  87. Não sei que raio de inspiração divina deu a este homem para escrever algo tão simples e tão real! Cada vez mais as pessoas vão vivendo uma vida conjunta mas separada... são relações distantes em que o que é partilhado é um beijo frouxo numa noite escura e de chuva; são as opiniões que teimam em separar, afastar, magoar; são os "timings" errados entre as pessoas porque um tem que estar em tal sítio a tal hora e o outro mata-se para ganhar uns tostões para beber cafés e fumar cigarros...
    Que "vidinhas" são essas que vivemos juntos mas separados...
    Por outro lado temos realmente aquilo que chamam de amor, aquele sentimento indescritível que acontece, que está, que cresce, que alegra e entristece, cura e magoa, fala e cala-se nos momentos mais inoportunos...
    O amor é uma verdade e em que verdade vivemos nós se não amamos? E será que amamos ou temos esta convivência fugaz e triste, sem cor nem brilho, nem vontade...

    Continua a "postar" assim Alvim... MUITO BOM BLOG

    ReplyDelete
  88. É um excelente texto. Toca a nossa necessidade interna de amar diferente; ou simplesmente de o fazer como ditam as emoções.
    Não conhecia. Obrigada.

    ReplyDelete
  89. encontrei esta pagina po mero acaso..Concordo com o k é dito .. mas existem excepçoes e eu sou uma delas.. mas por mais k defenda k o amor por "conveniencia" não esta correcto .. é tao mais facil e tao menos doloroso! .. pk sofrer.. qd se pode ter td? pergunta mta gente.. pk o amor é mais k uma conveniencia é uma ligação inexplikavel.. é um saber perdoar.. é ser cego ..
    mas valera apena arriscar para viver este amor?!.. sinceramente .. eu arrisco .. mas n sem s vale apena!

    ReplyDelete
  90. porra, já vinha para aqui dizer "ganda texto, ó fernando".

    não sendo teu assinas por baixo e digo "ganda texto, ó fernando!" :)

    "a vida é uma coisa, o amor é outra", ora bem.

    rita que já não te vê há para aí anos.

    ReplyDelete
  91. Bem...este texto era tudo o que eu precisava de ler!!afinal existem mesmo exepções...sinceramente ja me sentia perdida neste mundo ausente em amor puro, amor doente, amor sem fundamento!
    diga-se o que se disser não ha melhor sentimento do que o amor!quem não gosta de sofrer? quem não gosta e lutar? é um sentimento que mata por dentro mas que te faz viver ao mesmo tempo...
    Ame...sofra...viva...Dá mais pica ;)

    ReplyDelete
  92. milpalavrassoltasJuly 07, 2006 12:56 AM

    pois...mas eu amo sem mais , sem um senao ...amo-o porque amo...não é meu , não me pertence , mas tb quem é de quem?! Ás escondidas ...sem ninguem saber ....ele sabe e mais nada me importa ...não e conviniente ,não está certo....mas eu não quero saber....AMO -O
    já lá vão doze anos ...sem ninguem saber ....mas ele sabe .......

    ReplyDelete
  93. Tal como no amor à primeira vista, tal como os opostos serem capazes de se amarem para sempre, tal como quando há qualquer coisa de valor e vale a pena tentar porque irá dar certo, tal como escolher o caminho mais longo só para ver as caras que nos acenam na rua, tal como as bruxas que voam por cima do meu telhado à noite não me deixam dormir.
    Também corro o risco de ser influenciada por ideias feitas e por músicas desaconselháveis ao meu precário bem disposto estado de espírito. E então pergunto-me qual a diferença entre adorar e amar, e para ser verdadeira estou cada vez mais convencida de que o tão falado amor é apenas uma ilusão, é o apropriar dessa adoração tão simples e a sua transformação em algo sobre o qual uma pessoa se possa comprometer a estar lá e ganhar certezas que tornem tudo mais seguro.
    É bastante difícil querer que outrem seja feliz, por si só, sem a nossa influência. Acabamos por desejar assistir de perto a essa felicidade, posteriormente queremos interferir, no fim quer-se é ser a fonte omnipresente de qualquer sentimento risonho na outra alma desgraçada. Nasce o sentimento de posse, a obsessão tão tímida acaba por crescer, como uma carraça qualquer.
    O amor é o sentimento mais egoísta de todos.
    E assim tem razão de ser.
    Para prosseguir é necessário responder a outra pergunta; até que ponto pode ter mais que um sentido amar, o conceito de amor e o dizê-lo a alguém...
    Torna-se óbvio que nem toda a gente tem a mesma ideia e/ou espera o mesmo de uma relação amorosa... A essência que nos torna únicos define um bom bocado do que se procura quanto a esse aspecto. Há quem só queira foder, há quem só queira sentir-se especial, há quem ache que é fazer o outro feliz, há quem só queira uma pessoa lá, à espera, sempre, há quem sonhe com tudo, e felizmente há quem não espere nada de nada. O ideal seria haver respeito, empatia em todos os aspectos que rodeiam os dois, admiração por características que definam um e outro. E, claro está, camiões, montes, serras, montanhas, biliões, triliões, chiliões de toneladas de paixão sexual a roçar o mórbido. Não sei se é amor ou não, mas mantendo-se isto havia uma hipótese de não ser efémero para mim. Ah! Já me esquecia... É preciso querer!

    Catarina Medina

    ReplyDelete
  94. Para o grande amante do HI5: FERNANDO ALVIM!

    Tens HI5?

    Agora vem conhecer o HI5-PORCAS, onde selecionamos as melhores amigas portuguesas porcas!

    As melhores fotos, as melhores porcas, os melhores comentários em

    www.hi5porcas.blogspot.com


    Visita-nos e deixa o teu comentário!


    HI5-PORCAS - Onde podes ver as TUAS amigas!

    ReplyDelete
  95. Pois é Fernando alvim que se foda o Amor visto por outros cada um tem a sua forma de se sufucar com ele. Certamente nao terei a tendencia de dar a outros a agua que eu bebo pois bebida jamais será porvada por outros....
    Amor estampados em papel é a forma de ver o amor como mais uma forma e um corpo....
    Que se foda o Amor dos Outros....´


    Ass: Billas Bud

    ReplyDelete
  96. Vim parar a este site por acaso, e fikei agradavelment surpreendid por ser do Alvim, esse maluko cujo sentid d humor é tao caracteristico e uniko ;)estivest em grand nos pasteis da revolta ;), tanto como o SP "sousa produções"
    neste momento sou uma das k luta pelo Amor puro, encontrei-o e por mais dificil k esteja a ser, muito longe, por muito desesperadamente..nao ha nd tao bom kuanto o lutar-se por ele. porque tal como diz o Miguel , nao ha msm nd k faça valer a vida como o amor puro,so kem o sentiu uma vez sabe do k falo.
    Eis outro texto maravilhoso deste autor:
    " As almas gemeas quase nunca se encontram, mas, quando se encontram, abracam-se. Naqueles momentos em que alguem diz uma coisa, que nunca ouvimos, mas reconhecemos nao sei de onde. E em que mergulhamos sem querer, como se estivessemos a visitar uma verdade que desconfiavamos existir, de onde desconfiamos ter vindo, mas aonde nao tinhamos conseguido voltar.
    O coracao sente-se. A alma pressente-se. O coracao anda aos saltos dentro do peito, a solucar como um doido, tao obvio que chega a chatear. Mas a alma e uma rocha branca onde estao riscados os sinais indeleveis da nossa existencia. (...)

    Gemea nao e igual. E parecida. Nao e um espelho. E uma janela. Nao e um reflexo. E uma refraccao. (...)
    O desejo de encontrar uma alma gemea nao e o desejo de reafirmarmos a unicidade da nossa existencia atraves de outro que e igual a nos. E precisamente o contrario. E poder descansar dessa demanda. No fundo, todos nos duvidamos que tenhamos uma alma. Senao nao falavamos tanto dela.

    Uma alma gemea e a prova que nao estamos sozinhos. (...)
    O estado normal de duas almas gemeas e o silencio. Nao e o "nao ser preciso falar" - e outra foma de falar, que consiste numa alma descansar na outra. Nao e a paz dos amantes nem a cumplicidade muda dos amigos. Nao precisa de amor nem de amizade para se entender. As almas acharam-se. Nao tem passado. Nýo se esforcaram. Estao. E essa a maior paz do mundo. Como e que um ninho pode ser ninho doutro ninho? Duas almas gemeas podem ser.

    Como e que se reconhece a alma gemea? No abraýo. (...) Quando duas almas gemeas se abraýam, sente-se o alivio imenso de nao ter de viver. Nao ha necessidade, nem desejo, nem pensamento. A sensacao e de sermos uma alma no ar que reencontrou a sua casa, que voltou finalmente ao seu lugar, como se o outro corpo fosse o nosso que perderamos desde a nascenca. (...)

    As almas gemeas revelam-se uma a outra. Nao sao iguais. Mas revelam-se de forma igual. Como se tivesse surgido, de repente, uma lingua que so os dois conseguissem falar. (...)

    Toda a angustia do eu se dissipa. E-se inteira e naturalmente aceite. Sem perguntas. Sem condicoes. Sem promessas. E mergulha-se no outro como se ja nao fosse preciso existirmos"

    Espero que gostem Alvim
    kisses

    ReplyDelete
  97. Cem comentários...quase todos de acordo com o autor do texto! Ou seja,somos mts a discordar da forma como se "ama" hoje em dia;mts a precisar de amar e de ser amado verdadeiramente...mas tb mts a ter; vergonha; receio ou mesmo medo...dessa entrega. Se cada um de nós que gostou deste texto começar a amar "diferente", garanto-vos que vai fazer toda a diferença na nossa vida e em pelo menos mais cem, que por sua vez vão afectar mais cem , que por sua vez... bjs para todos!

    ReplyDelete
  98. este texto é uma maravilha...


    fez-me pensar no tempo que terei de esperar por um amor assim: verdadeiro, tonto, louco, humilde, honesto, sem medos, infantil e que deixe sem apetite por se viver alimentado da felicidade...

    marta

    ReplyDelete
  99. O amor tem muitas faces, é impossível resumi-lo ou critica-lo num só texto (por mais bem conseguido que esteja, como este do MEC, gostei muito)Mas uma coisa que ele disse é verdade: a dor faz tanto parte do amor como a felicidade e negar uma das partes é negar a outra...

    ReplyDelete
  100. "People are afraid of themselves, of their own reality;
    their feelings most of all. People talk about how great love is,
    but that's bullshit. Love hurts. Feelings are disturbing.
    People are taught that pain is evil and dangerous.
    How can they deal with love if they're afraid to feel?
    Pain is meant to wake us up. People try to hide their pain.
    But they're wrong. Pain is something to carry, like a radio.
    You feel your strength in the experience of pain.
    It's all in how you carry it. That's what matters. Pain is a feeling.
    Your feelings are a part of you. Your own reality.
    If you feel ashamed of them, and hide them,
    you're letting society destroy your reality.
    You should stand up for your right to feel your pain."

    Jim Morrisson

    I think it sums it up...:)

    ReplyDelete
  101. olá :)já tinha lido este texto k por acaso na altura em k o li tinha deixado de acreditar no amor puro e desmedido. Damos tanto de nós e depois nada temos em troca...Pena k hoje em dia a moda esteja em estar uma noite com a pessoa e depois fazer de conta k nunca se conheceram...Prefiro sem duvida o amor desmedido,sem preocupaçôes em demonstrar o k ker k seja, aqualquer hora em qualquer lugar do mundo.Adoro amar,sentir o friozinho na barriga...no entanto ainda fico à espera do príncipe encantado de k tanto se fala nos contos do maravilhoso...
    A minha alma rejubila com o amor desmedido :D o amor puro...
    Espero k continues a amar dessa forma...
    um bjinho
    Carla Pereira

    ReplyDelete
  102. Humm o amor, a vida....ai ai...o verão está no sangue a aquecer :)
    Em nós, nos outros até os tipos dos anuncios
    lol
    http://www.youtube.com/group/ experienciaoptimus

    e www.experienciaoptimus.info
    espreitem! ta fixxe

    ReplyDelete
  103. Eu prefiro ... "No dia em que fugimos tu não estavas em casa".

    ReplyDelete
  104. Um texto deveras comovente...NOT!!! Mas... "banançides" é que não pode ser!!! "Ç" antes de um "i" é mto mto mto mau... =|

    ReplyDelete
  105. Saber que um homem escreveu desta forma tão sincera e revoltada sobre o amor, nos tempos de hoje que é quase uma vergonha ser-se romantico, foi um rasgo de esperança para mim, tenho o coração apertado pelas palavras que li, lindo!

    ReplyDelete
  106. pensava que tinhas mais juízo!!! bolas o Grande Alvim apaixonado!!! recupera rápido dessa paixão, porque elas só nos fazem sofrer..

    NN

    ReplyDelete
  107. bom, tenho de confessar k ja me tinham ensinado essa do " Não se pode perceber tudo", foi o meu puto que me ensinou. O meu puto não é o meu filho, nem é meu ( esta parte tenho de dizer infelizmente:'()... é só uma forma de expressão...ja agora ele n é um puto ( é só mais novo que eu):P bom continuando... ele explicou-me que n posso perceber tudoooo, isto pk eu gosto de perceber tudo, axo k se perceber faço melhor do k se n perceber... note-se k eu sou dakelas miudas k ele dizem - ah tu es mesmo das dificeis... kem muito escolhe pouco acerta, tens umas ideias complicadas!!!"; eu axo me simples, digo sempre o k penso... kero uma relação feliz estavel e duradeira! não sou de curtes, nem de jogos mas gosto de perceber... pa dizer a verdade quando ele me disse akilo ... pasmei! foi um alivioooooo, um peso k me tiraram de cima! ele acrescentou que eu era humana e isso não era compativel com perceber tudooooo...
    ele ja me ensinou mais coisas, eu tb ja lhe ensinei umas coisas ( espero)! as minhas amigas dizem k os meus olhos riem qdo falo dele, dizem k não o percebem... às vezes eu tb não percebo... mas deixei de ficar triste...não percebo mas amo! e ixo é k é o importante...eu ter percebido k pk o amava, keria estar lá pa ele, keria aproveitar os momentos com ele e com todos akeles que eu tb amo... mesmo que não os percebesse! Perceberam???LOL

    ReplyDelete
  108. Texto fantástico, apesar de não concordar com tudo! ;)

    Abraços!

    ReplyDelete
  109. o Amor...é um caminho percorrido pela paixão descontrolada em sensacões que nos levam da extrema felicidade à tristeza. E até nesta tristeza se sente a felicidade de amar com toda a força da paixão. Mas por vezes a vida...leva-nos para espaços onde o desencontro fica de permeio...e quando nós damos pelo amor...puro...já ele foi conspurcado pela espera que a outra pessoa "sofreu" e ficou perdido no limbo...não mais amor...não mais paixão...não mais felicidade...mas sim desilusão pela tristeza instalada por não conseguirmos acreditar na ilusão. E deixamos de sonhar...é só nos resta a pergunta: Quem foi o primeiro de nós que deixou de sonhar?

    ReplyDelete
  110. Cre-do. O Fernando Alvim tem coração.

    ReplyDelete
  111. Alvim gostava de dizer-te muitas coisas. És um homem com um olhar e sorriso de criança e tens um coração enorme. Marisa

    ReplyDelete
  112. mesmo que não queira tenho de ver a luz... lindo

    ReplyDelete
  113. sem palavras...

    ReplyDelete
  114. É tão lindo que chega a doer....

    Lindo!!!

    ReplyDelete
  115. Antigamente era-nos presenteado um aroma matinal que nos fazia acordar de sentidos despertos tentando adivinhar o que era o almoço, essa refeição banal dos dias de hoje. O almoço começava a ser preparado bem de manhã cedo, demorava horas a ser feito, como era delicioso!!! A simples refeição representava a união... Hoje em dia o tempo é mais curto, há mais preocupações, mais realidade e menos ilusões... A vida parece mais curta (com a infância e a adolescência prolongadas), o tempo perdeu o seu valor... Hoje conseguimos uma refeição 10 minutos num micro-ondas, o que torna o sentido de união ridículo. O que tento estabelecer aqui, com esta conversa, não é uma comparação directa entre o amor e um refeição. Limito-me a relembrar a perda de valores que se vai acentuando cada vez mais... "O amor é uma coisa, a vida é outra". A ilusão é bonita de se sentir, mas a realidade é tão dura de se sofrer... O amor incondicional referido no texto é bonito, é lindo e único, mas faz parte dessa ilusão que só é bonita lida... Perdeu-se o tempo para afectos, perdeu-se o valor de um carinho... As pessoas não se permitem amar porque simplesmente não tem tempo para sofrer!

    (Bem sei que é uma visão talvez pessimista, mas ainda continuo à espera do meu principe entancado, o amor move-me! Contraditório?!)

    ReplyDelete
  116. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  117. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  118. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  119. miguel esteves cardoso diz que o amor é fodido e eu concordo em pleno :)

    ReplyDelete