Sunday, October 19, 2014

Alice Joana Gonçalves, coreógrafa, bailarina e artista visual, responde ao Inquérito do Jornal Metro

A mostrar dança afro.png


Férias
Angola. Para passar o dia a dançar kizomba, semba e kuduro! Tenho muito que aprender!

Uma ideia
Ser criado um sistema nacional de emergência de osteopatia para bailarinos. Ahhh!

Uma asneira
Num par de conversas já me perguntaram se a performance art é "tipo" teatro. SOCORRO! 

Paixão
O corpo e o seu movimento, toda a sua potência e fragilidade. 

Curiosidade
O ser humano (o animal humano) só precisa de comer, dormir e ter amor para ser feliz! A vida é bem simples.

Uma pergunta.
Gosto quando me perguntam se quero ir jantar e beber um bom vinho. E também gosto quando me perguntam se quero dançar.

Uma resposta
Às quais repondo: Sim, adorava!

Uma lição
Se formos condescendes com a vida e agirmos sempre com o coração e intuição...Então viveremos em tranquilidade!

Aventura
A grande aventura da minha vida é a "criação" artística!
Quero vivê-la todos os dias intensamente , até me diluir.

Segredo


Este Verão bebi o melhor copo de água da minha vida. Aprendi com essa experiência.

Desabafo

Mas afinal o que é isso do amor livre?? 
É uma invenção de uma sociedade intelectualizada e egocêntrica?
Ou apenas um conceito que protege quem tem medo de sofrer de paixão?

Um problema
Fugirmos do desejo (mesmo que pareça errado numa perspectiva social!).

Que é o mesmo que fugirmos de nós!

Uma admiração
A inteligência emocional das mulheres. Há uma savana, dentro de cada uma!


O que procuras?
THE REAL THING!

A mostrar NY 2013.png

Thursday, October 16, 2014

Jornada Internacional pela Erradicação da Pobreza – 17 de Outubro de 2014


Declarar Ilegal a Pobreza é o caminho que a IMPOSSIBLE - PASSIONATE HAPPENINGS apresenta e defende na Jornada Internacional pela Erradicação da Pobreza – 17 de Outubro de 2014

Com 14 anos de vida missionária e 13 à frente da direcção executiva da CAIS, tendo sido seu sócio fundador e construtor da UNIVERSOS, apaixonado e estudioso incansável do diálogo entre pluralidades, o teólogo Henrique Pinto, para quem a mudança e a transformação são paradigma e razão do existir, enceta um novo caminho sócio-cultural, espiritual e político depois de ter mobilizado e reunido à volta de causas inúmeras pessoas apaixonadas pelo IMPOSSÍVEL.

Salvaguardar e promover a dignidade de tudo quanto existe, enquanto Gratuidade, ou ser sem razão, é a grande missão da IMPOSSIBLE – Passionate Happenings, que é apresentada ao público já no dia 17 de Outubro de 2014.

Consta desta apresentação um Fórum Social que vai decorrer durante a manhã no auditório Agostinho da Silva (Universidade Lusófona, Lisboa), tendo por tema: “Pobreza e Desigualdade: O corpo são enquanto absoluto do pensar e agir”. Após a conferência de abertura, 9 workshops procurarão encontrar soluções capazes de reduzir os altos níveis de pobreza entre diversas populações e sectores. José Reis, Francisco Louça, Elina Fraga, Manuel Carvalho da Silva, Pedro Afonso, Joaquim Franco… são alguns dos oradores convidados.

Uma maratona sócio-cultural e artística constitui o segundo grande momento do dia. Esta será  realizada na Rua Augusta, junto à lage, que a 17 de Outubro de 1994, há precisamente 20 anos, disse não à fome e indigência.  Esta laje no  chão da Rua Augusta, é uma réplica da que foi colocada no Trocadero de Paris pelo “Movimento ATD Quarto Mundo”, que está na génese da Jornada Internacional pela  Erradicação da Pobreza.  

Por este mesmo local, apetrechado de um palco e uma esplanada, passarão algumas figuras públicas, Selma Uamusse & Friends, Pedro Joia, Cláudia Semedo, Daniela Vieitas, Fernando Nobre, Presidente da CM Lisboa, Presidente da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, entre outros, para com os presentes abraçarem o Movimento Pobreza Ilegal. No combate à  pobreza está mais que provado que não basta a vontade de cada um – seja ela individual, de instituições e governos - para efetivar a real mudança que Portugal, a Europa, e o Mundo precisam para que possam ser menos pobres e menos desiguais.

À luz de um novo paradigma de governação urgente, o Movimento Pobreza Ilegal deseja levar o Parlamento Português a declarar solenemente que a Pobreza é ilegal enquanto violadora de direitos e deveres. Será missão do Movimento ampliar a voz dos portugueses e denunciar os autores e promotores do empobrecimento e das profundas desiguladades do nosso país, obrigando também as instituições de solidariedade a serem muito mais céleres nos processos de autonomização de pessoas, combatendo assim a pobreza nas suas várias vertentes, tantas vezes instalada, persistente e institucionalizada. A transparência da contas não chega. Urge saber o impacto das mesmas nas pessoas.

A 17 Outubro, na Rua Augusta, em Lisboa, a IMPOSSIBLE – Passionate Happenings, falará de si e dos próximos projectos que entende realizar, sendo o Movimento Pobreza Ilegal o 1º de outros que se irão seguir, como negócios sociais de vanguarda e inovação.

Voz do povo que não nasceu para ser pobre e tão desigual – já que o planeta e o território nacional não o são.


Para mais informações sobre o Movimento (Página Facebook)

Maior envolvimento sobre o Movimento (Newsletter)

Programa dia 17 de Outubro

Para mais informações sobre o Evento dia 17 de Outubro (Evento Facebook)

Inscrições e mais informações
Carolina Vasconcelos cvlapaimpossible@gmail.com // +351 939 533 007
Maria Costa joanaughi@hotmail.com // +315 935 540 348

Wednesday, October 15, 2014

Orçamento Participativo 2015 - Tomar



Vota no projecto 3. Estão em 2º lugar. É um projecto de requalificação do centro de Cem Soldos, que resultou de um processo inovador entre os arquitectos e a população. Agora é Cem Soldos que precisa do teu apoio. Apenas precisas do número de BI e data de nascimento.

+ info: aqui

Monday, October 13, 2014

"Exposed", no Centro Cultural de Cascais, a partir de 15 de Outubro


EXPOSED
 Por Bryan Adams

Fundação D. Luís I Ÿ Centro Cultural de Cascais
15 de Outubro de 2014 a 1 de Fevereiro de 2015

Bryan Adams é uma figura reconhecida em todo o mundo pelos inesquecíveis êxitos que assinou. O que muitos ainda desconhecem é que o autor de “Summer of 69” é um fotógrafo de talento. Tirando partido da sua relação de proximidade com figuras mediáticas, não só do show business como da política, da ciência, etc., Adams reuniu uma série de retratos de celebridades que reflecte a facilidade em conviver com esses seus pares. Estas fotografias foram reunidas no livro “Exposed” publicado pela editora alemã Steidl em 2012 e posteriormente deram origem à exposição de fotografia homónima que, pela primeira vez em Portugal, e pela mão da Fundação D. Luís I, inaugura no Centro Cultural de Cascais, no próximo dia 14 de Outubro.

Muitos são os artistas que, tendo granjeado reputação noutras áreas específicas do mundo do espectáculo, se dedicam à fotografia, mas Bryan Adams revela uma maturidade e destreza estilística que muitos fotógrafos de renome não desdenhariam exibir.


7ª EDIÇÃO DO FUTUREPLACES: O MEDIALAB DE CIDADÃOS PARA CIDADÃOS




Debates, laboratórios, cinema, concertos e muito mais.
Os media ao serviço dos cidadãos, de 15 a 18 de Outubro, no Porto. 
Uma realização do Programa UTAustin-Portugal para os Media Digitais.

Desde o início do FUTUREPLACES que o mote é o papel dos media na sociedade e na cultura. Nesta 7ª edição, o FUTUREPLACES assume este projecto de continuidade, com laboratórios, concertos, cinema e debates. Todas as actividades são gratuitas e de livre acesso.

Esta edição traz novidades e novos territórios a explorar, consolidando o sucesso dos formatos anteriores. Heitor Alvelos, professor da U.Porto e director do FUTUREPLACES, destaca para esta edição "a necessidade de pensar cidadania como produção de informação e cultura em nome próprio”, bem como "a capacitação de cidadãos para modelos de participação social reais, tangíveis, consequentes". É um trabalho em curso, que em anos anteriores contou já com nomes de referência como Peter Sunde, Siva Vaidhyanathan, Nancy Schiesari, Jon Wozencroft, Hiperbarrio e Laura Malacart. Comunidades locais apoiadas pelo FUTUREPLACES incluem o movimento de músicos do Stop, Rádio Manobras, ±, Museu do Resgate e Portugal Portefolio.

PALESTRAS E DEBATES
As sessões vão atender na pedagogia de produção cultural e social. Jillian York (Electronic Frontier Foundation) e Diane Peters (Creative Commons) lideram a lista de oradores convidados deste ano do FUTUREPLACES. York destaca-se pelo trabalho na área da liberdade de expressão e Peters actua no campo da organização legal e estratégica. É também na sua presença que a parceria entre o Creative Commons Portugal e o Grupo de Investigação Media and Perplexity, sediado na Universidade do Porto, tem a sua primeira expressão pública.

LABORATÓRIOS
Dado o sucesso dos laboratórios de cidadania em anos anteriores, este ano há nove workshops disponíveis para todos. Com acesso livre e gratuito, este formato permite uma forte interacção entre participantes de proveniências muito diversas.
“Portugal Portefolio” e “Games to The People” são dois laboratórios que repetem este ano, por toda a adesão e reconhecimento que conquistaram na edição anterior. Mas há novidades, que trazem sinfonias e novas vozes. “The Oportosmouth Sinfonia” é uma das surpresas, prometendo produzir um concerto para guitarristas sem experiência prévia em menos de 24 horas. Em parceria com a Rádio Manobras, uma série de laboratórios traduzirá vários campos do saber para o público da cidade.

CONCERTOS
Em parceria com a Associação Sonoscopia, salienta-se a actuação de If, Philippe Petit, Al Margolis e Mia Zabelka numa sessão conjunta do ciclo Microvolumes. Jaime Muñarriz Ortiz / Drubh e Len Massey são dois outros nomes-chave, aos quais se junta a FuturePlaces Impromptu All-Stars Orchestra, orquestra variável de músicos locais que voltará a encerrar o ciclo de eventos pela sétima vez consecutiva.

CINEMA
Um dos pontos fortes do programa deste ano do FUTUREPLACES recai no filme biográfico de Aaron Swartz, activista da cultura livre recentemente falecido. “The Internet’s Own Boy: The Story of Aaron Swartz” será o mote para uma abordagem colectiva às fronteiras da legalidade e legitimidade do acesso e produção de conhecimento. 

MEDIA LAB
O FUTUREPLACES deste ano promete voltar a surpreender com novas abordagens, artistas influentes, investigadores e académicos internacionais. Aberto a todos os cidadãos, todos são participantes nesta mistura improvável de possibilidades culturais, criativas e mediáticas. A edição de 2014 ocorre de 15 a 18 de Outubro, na cidade do Porto. O evento, com todas as actividades livres e gratuitas, repartem-se pela Associação Cultural Sonoscopia e pelo Passos Manuel (actividades nocturnas) e residem no Pólo das Indústrias Criativas do UPTEC (PINC) durante o dia.

Informação permanentemente actualizada em futureplaces.org