Sunday, February 15, 2015

João Gonçalves, editor, responde ao Inquérito do Fernando Alvim, no Jornal Metro

UMAS FÉRIAS As próximas e aquelas na ilha terceira. As quatro estações num dia, um oceano imenso, paisagens incríveis, tempo com a família, um bom livro, boa comida e boa gente. Que mais se pode querer?

UMA IDEIA Criar na cidade um "passeio da fama" dos autores nacionais, temos que cultivar o bom hábito de reconhecer e impusionar o talento dos autores portugueses.
UMA ASNEIRA O projecto de lei da cópia privada. A sério? Alguém acredita que vai trazer algo de positivo à cultura ou beneficiar os autores e consumidores portugueses?

UMA PAIXÃO Aquele dia de verão, ao final de tarde, em que reencontro as ostras com vista para a ria Formosa.

UMA CURIOSIDADE
As nódoas da tinta de caneta podem sair com leite.

UMA PERGUNTA Quem és tu, Fernando Alvim? UMA RESPOSTA Vai correr bem. UMA LIÇÃO Lembro-me sempre das sábias palavras do Johny Walker: "Keep walking". UMA AVENTURA Entrei, conscientemente, numa rua em contramão. Fui parado por um carro. Perguntei ao condutor se era polícia. Descobri que sim.. UM SEGREDO Todas as edições são limitadas. UMA INVENÇÃO Um despertador de bom senso.
UM DESABAFO Este texto é escrito de acordo com o novo acordo ortográfico?
UM PROBLEMA A falta de gás na cerveja e o peixe demasiado assado. (Finalmente um item ou dois que o convidado deste inquérito deve acrescentar: Como se tivesse a perguntar a si próprio algo e a dar a resposta logo a seguir, como se achasse que nestes inquéritos este item por vocês criado devesse começar a ser incluído). Podem também fazer uma pergunta a vocês próprios e isso conta como item.)
Qual o teu prato favorito? Aquele .. o da Vista Alegre.

Wednesday, February 11, 2015

Workshop de Dobragem de Desenhos Animados





         

Workshop de Dobragem de Desenhos Animados
Formador: José Jorge Duarte
Data: 23-27 de Fevereiro 20h - 23h
 

Numa parte teórica, dar a conhecer o processo completo de dobragem, incluindo produção, tradução, adaptação, questões artísticas, edição, mistura e print final.

Contacto com os meios em estúdio e com a técnica.

Na prática, a preparação para um bom desempenho em dobragens para diversas plataformas. 

Gravação em estúdio.
Forte incidência em exercícios respiratórios e posturais. 

Desenvolvimento da intuição e da concentração. 

Aperfeiçoamento de questões ligadas a projeção, dicção e sincronismo. 

Cada participante requer um trabalho individualizado visto sermos todos iguais mas também muito diferentes. 


contactos

escadinhas do alto do restelo, loja 2E
1400–903 lisboa, portugal
T. 937 981 560 / 935 690 095
T. 211 542 224 / producao@zov.pt
mais informações:
www.zov.pt


Monday, February 09, 2015

Nuno Domingues, jornalista, responde ao Inquérito do Fernando Alvim, no Jornal Metro



UMA FÉRIAS
As primeiras e talvez únicas férias de adolescente (no sentido mais destravado do termo). Talvez 1986. Numa bela aldeia nas margens do Rio Ceira, no centro de Portugal. Festas, música. Cacei, pesquei. Ficaram as caras, as amizades e o som (Scorpions, yeah!!!). Nunca mais matei um pássaro. Nunca mais pesquei um peixe.


UMA IDEIA
Uma constituição nova, que não se chama constituição, mas Carta da Liberdade. Só tem um artigo e cinco alíneas " Portugal é um pais soberano onde todos, sem excepção, têm direito a: 1) Paz; 2) Pão; 3) Habitação; 4) Saúde; 5) Educação."

UMA ASNEIRA
TDT. É um exemplo claro de como tudo o que havia para correr mal, correu. Tirando uma empresa chamada PT, não vejo mais ninguém satisfeito. Eu, que vejo a antena retransmissora da minha janela, não consigo captar TDT. Ou seja, tenho de pagar duas vezes para ver o Telejornal (a contribuição audiovisual e mensalidade ao operador de cabo).

UMA PAIXÃO
Ou uma paixão por uma outra coisa qualquer, pronto.
Amoras silvestres. As amoras são difíceis de provar. As melhores, são as que apanhamos pela fresquinha, porque no final da tarde, expostas ao sol, levam-nos a passar parte das férias no W.C.. E para apanhar amoras, pela fresquinha, temos de acordar cedo. O que, nas férias, convenhamos, não é agradável. Ou seja, e assim concluo, tive poucas paixões de férias.

UMA CURIOSIDADE
Foi uma professora que me ensinou isto. Nunca mais esqueci. Ainda hoje não sei para que serve: a raiz quadrada de 25 é igual à quinta parte de um quarteirão.


UMA PERGUNTA
Se os pés deixam de crescer, e o cabelo até começa a cair, a partir de determinada altura da vida, porque é que as unhas são como são?

UMA RESPOSTA
Não fui eu! (em inglês - It wasn't me - resulta melhor)

UMA LIÇÃO
"Vive como por magia, a vida num só dia". Sempre útil. Foi um Rádio (Macau) que me ensinou.

UMA AVENTURA
Regresso ao rio Ceira. É um rio com pouca água, no verão. Mau para canoagem, mas óptimo para subir ou descer a pé, dentro de água. Demora-se horas, e se não se partir um pé ou uma perna, é uma excelente aventura para uma tarde, ou um dia.

UM SEGREDO
Comprei uma pasta com um código de abertura. O código é 000. Ando há anos à procura da pasta. Não me lembro onde a guardei. Felizmente, está vazia. 

UMA INVENÇÃO
O sabre-luz. É um objecto que impõe respeito. E que desafia vários conceitos da física. Seria um conceito ganhador, que deixaria quem o comercializasse,. mais rico que certas empresas farmacêuticas. 

UM DESABAFO
Este governo não (me) serve. (é um desabafo que me acompanha há décadas, governo após governo)

UM PROBLEMA
É um problema real, e que tem vindo a agravar-se. Apesar de ganhar a vida a falar, na esperança de ser ouvido, sinto que sou mais ouvido quando me pagam para falar, do que quando peço por favor, para ser ouvido.

UM DESABAFO
Não tem a ver com férias, mas intriga-me, e quero por isso, aproveitar este espaço para lançar a discussão. Se a humanidade consegue explicar a gravidade e a relatividade geral, porque é que continua a juntar coelhos e ovos, na Páscoa?


Monday, January 12, 2015

Liliana Garcia, fashion blogger, responde ao Inquérito do Fernando Alvim, no Jornal Metro



UMAS FÉRIAS
NYC – Normalmente quando criamos muita expectativa sobre algo, por vezes ficamos desiludidos. Não foi o que aconteceu quando visitei a cidade que nunca dorme. Era a minha viagem de sonho e adorei. O Central Park foi o primeiro sítio que fui visitar… ao anoitecer…foi místico. A mais maluca foi a viagem à Tunísia…tive vários episódios caricatos, mas destaco o passeio em cima de um camelo (Alibabah) aos saltos.

UMA IDEIA
Acabar com o cotão. 

UMA ASNEIRA
Dizer todos os anos que não vou abusar nos doces de Natal, mas abuso sempre! 

UMA PAIXÃO
As primeiras férias de verão com o meu filho. Tão bom. Fez-me recordar a minha infância.

UMA CURIOSIDADE
No 6º ano recebi o prémio da melhor composição da minha turma, cujo título era “O Sonho”. Tive direito a um livro autografado pelas escritoras Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada, autoras dos livros “Uma Aventura”. Estado - A sentir-se orgulhosa.

UMA PERGUNTA
Porquê complicar a vida?

UMA RESPOSTA
Saudades de alguém? Telefona / Queres sair com a pessoa? Convida / Queres ser entendido? Explica / Tens questões? Pergunta / Não gostas de algo? Di-lo / Gostas de algo? Indica-o / Queres algo? Pede / Gostas de alguém? Diz-lhe.

UMA LIÇÃO 
As melhores coisas são aquelas que não são planeadas! Eu que tenho a mania de planear tudo, descobri que a imprevisibilidade, o desconhecido, o não ser bem como planeámos, o enganarmo-nos no caminho para algum lado, é a melhor coisa!

UMA AVENTURA
Precisamente. Enganei-me no metro quando estava em Manhattan e fui ter a Brooklin. 
Pânico e depois “Ai que lindo está a anoitecer e as luzes a acender em Manhattan”.

UM SEGREDO
Sei um segredo do Fernando Alvim. 

UMA INVENÇÃO
Os bodys de bebé que não se vestem pela cabeça e os babygrows com fecho até acima, sem botões! Ah…e o instagram!

UM DESABAFO
Por favor escrevam à e às com acento para a esquerda (á - está incorrecto e ás só se for de paus…copas…ou então um ás a jogar basquete…wathever!!!!

UM PROBLEMA
Iliteracia. Leiam! Escrevam! Falem!

UM DESEJO 
Um bom ano de 2015

UM PROVÉRBIO
A necessidade aguça o engenho. Vê-se pela criatividade que anda por aí. Por vezes temos 
de olhar para a crise como uma oportunidade. Agora é ter ideias e pô-las em prática.