Thursday, December 13, 2007

Esta coisa de gostar de alguém


Esta coisa de gostar de alguém não é para todos e, por vezes – em mais casos do que se possa imaginar – existem pessoas que pura e simplesmente não conseguem gostar de ninguém. Esperem lá, não é que não queiram – querem! – mas quando gostam – e podem gostar muito – há sempre qualquer coisa que os impede. Ou porque a estrada está cortada para obras de pavimentação. Ou porque sofremos de diabetes e não podemos abusar dos açucares. Ou porque sim e não falamos mais nisto. Há muita gente que não pode comer crustáceos, verdade? E porquê? Não faço ideia, mas o médico diz que não podemos porque nascemos assim e nós, resignados, ao aproximar-se o empregado de mesa com meio quilo de gambas que faz favor, vamos dizendo: “Nem pensar, leve isso daqui que me irrita a pele”.

Ora, por vezes, o simples facto de gostarmos de alguém pode provocar-nos uma alergia semelhante. E nós, sabendo-o, mandamos para trás quando estávamos mortinhos por ir em frente. Não vamos.. E muitas das vezes, sabendo deste nosso problema, escolhemos para nós aquilo que sabemos que, invariavelmente, iremos recusar. Daí existirem aquelas pessoas que insistem em afirmar que só se apaixonam pelas pessoas erradas. Mentira. Pensar dessa forma é que é errado, porque o certo é perceber que se nós escolhemos aquela pessoa foi porque já sabíamos que não íamos a lado nenhum e que – aqui entre nós – é até um alívio não dar em nada porque ia ser uma chatice e estava-se mesmo a ver que ia dar nisto. E deu. Do mesmo modo que no final de 10 anos de relacionamento, ou cinco, ou três, há o hábito generalizado de dizermos que aquela pessoa com quem nós nos casámos já não é a mesma pessoa, quando por mais que nos custe, é igualzinha. O que mudou – e o professor Júlio Machado Vaz que se cuide – foram as expectativas que nós criamos em relação a ela. Impressionados?


Pois bem, se me permitem, vou arregaçar as mangas. O que é díficil – dizem – é saber quando gostam de nós. E, quando afirmam isto, bebo logo dois dry martinis para a tosse. Saber quando gostam de nós? Mas com mil raios, isso é o mais fácil porque quando se gosta de alguém não há desculpas nem “ ai que amanhã não dá porque tenho muito trabalho”, nem “ ai que hoje era bom mas tenho outra coisa combinada” nem “ ai que não vi a tua chamada não atendida”.

Quando se gosta de alguém – mas a sério, que é disto que falamos – não há nada mais importante do que essa outra pessoa. E sendo assim, não há sms que não se receba porque possivelmente não vimos, porque se calhar estava a passar num sítio sem rede, porque a minha amiga não me deu o recado, porque não percebi que querias estar comigo, porque recebi as flores mas pensava não serem para mim, porque não estava em casa quando tocaste.

Quando se gosta de alguém temos sempre rede, nunca falha a bateria, nunca nada nos impede de nos vermos e nem de nos encontrarmos no meio de uma multidão de gente. Quando se gosta de alguém não respondemos a uma mensagem só no final do dia, não temos acidentes de carro, nem nunca os nossos pais se sentiram mal a ponto de nos impossibilitarem o nosso encontro. Quando se gosta de alguém, ouvimos sempre o telefone, a campaínha da porta, lemos sempre a mensagem que nos deixaram no vidro embaciado do carro desse Inverno rigoroso. Quando se gosta de alguém – e estou a escrever para os que gostam - vamos para o local do acidente com a carta amigável, vamos ter com ela ao corredor do hospital ver como estão os pais, chamamos os bombeiros para abrirem a porta, mas nada, nada nos impede de estar juntos, porque nada nem ninguém é mais importante, do que nós.

109 comments:

  1. Belo texto... quando se gosta de alguém ou nada mais importa, ou esse alguém importa mais do que os outros... gosto de ser gostada, mas também gosto de gostar...
    um beijo

    ReplyDelete
  2. A sofia está lá,dise tudo o que interessa!!
    Gostar de alguem é muito bom mesmo,acreditem..eu tou nessa fase e digo vos que é o melhor!!

    Abracos e tenham uma optima semana!!
    Aproveito para desejar um optimo Natal para todos!!

    ReplyDelete
  3. E isso tudo acontece... só porque sim.
    Como se alguma vez pudesse existir outra forma...!

    ReplyDelete
  4. o absurdo é quem age como se gostasse de nós, sem ter amor-próprio.

    ReplyDelete
  5. E é tão bom gostar assim de alguém!

    ReplyDelete
  6. Espero que não te importes que eu faça um link com a última parte do teu texto no meu blog. E vou-te linkar!

    ReplyDelete
  7. Passei por aqui, li o texto e adorei!
    ... Porque é bem verdade tudo isso que escreveste!...

    ReplyDelete
  8. E deixe-me reforçar a ideia velho Capitão Mario Wilson, perdão Alvim:

    Quando se gosta de algúem, não há crustácio que resista!!

    Aquele abraço.

    WWW.SEMGAS.BLOGSPOT.COM

    ReplyDelete
  9. concordo em partes contigo é óbvio k quando s gosta de alguem a sério,nao há contra tempos, a pessoa de k gostamos é o centro no nosso mundo, e tiramos logo a "fotografia" aos meninos ou meninas, que apontam algumas das desculpas k tu aí apontas te!!
    e daki fala uma menina k n gosta nada nada de sentir k o centro do nosso mundo é outra pessoa e nao ela.
    nao levando isto ao egocentrismo!
    bj****

    ReplyDelete
  10. Encontrei por mero acaso ete blogue. Imprresionante.

    Comentário às palavras do proprietárrio, Ferrnando Alvimn. Por isso é que as pessoas que defendem gostar assim não tem sorte,nunca terão. Éste tipo de amor demonstra imediatamente, em primeiro lugar, o princípio da educação, simultaneamente a sensibilidade a doçura o cavalheirismmo entre outros. Ora se arranjamos desculpas desta mandeira e daquela, não antendemos os telefones, não respondemos a outrras pessoas que não a nossa amada ou o nosso amado (quando diz que para essas pessoas nunca isso aocntece, então aocntecerá parra as outras), inventamos desculpas todas e tantas mais, demonstramos logo o que somos: mal educados, mal formados, para além de sofrerem do mal comum intrínseco aos seres comuns, básicos( não aos que se destacam na sociedade pela sua diferença, inteligência, postura humana e delicada)que é egoísmo. Pensar o amor de forma egoísta só pode ser, no melhor, dos casos, um grande sinal de imaturidade, de irresponsabilidade. Andam cá por por andar ver os outros. No melhor dos casos...

    ReplyDelete
  11. Muito bom... isto escrito por um especime masculino até arrepia!!

    Linkei n meu blog

    Bom fim-de-semana prolongado :)

    ReplyDelete
  12. Ao ler este post lembrei-me do pequeno livro que escreve e que adorei e que me revi, a pergunta é a seguinte: Para quando 1 novo livro?

    http://blogdozezito.blogspot.com

    ReplyDelete
  13. Porque gostar de alguém é mesmo isso tudo o que disses-te!!

    Como sempre... escreves maravilhosamente!

    Beijinhos*

    ReplyDelete
  14. só gostamos dos outros porque precisamos de nos sentir bem, porque ninguém é mais importante que nós, porque, no fundo, somos egoistas

    ReplyDelete
  15. Olá. Vim parar aqui, meio por acaso, clicando num link lá do "Astro que flameja", da minha querida Marta R.

    E cheguei justo no dia que se seguiu à noite em que andei pensando acerca dessas coisas.
    Vai entender...

    Pois é.
    Adorei.

    ReplyDelete
  16. Fazes-me sorrir. Pela forma crua, mas sensível como escreves.

    ReplyDelete
  17. Se a minha ingenuidade teima em criar falsas esperanças e ,consequentes, falsos afectos.... hoje foi abalroada por este brilhante texto.... Subscrevo na integra.

    Sai um dry martini para a mesa 6, oh s.f.f

    ReplyDelete
  18. lindooooooooo! Adorei a tua prosa! Realmente isso é tudo muito lindo... quando verdadeiro!!!

    Mas olha que essa questão sobre se gostam mesmo ou não de nós é muito pertinente, porque há sempre pessoas capazes de falsas demonstrações de amor com segundas intenções! Pois é!

    ReplyDelete
  19. Uiiiii, como se já não fosse desgraça suficiente termos de beber as cervejolas sem o cigarrinho companheiro, o Alvim está apaixonado?!

    Bebe uns finos que isso passa ;)

    B*

    Ps: Pronto pá, é lindo sim sr... ai as lamechisses

    ReplyDelete
  20. Uma grande verdade. Gostei muito.
    Já agora... Autorizas-me a por este texto no meu blog Alvim?

    ReplyDelete
  21. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  22. Fonix... até me faltou o ar!



    http://aminhamaneira.wordpress.com

    ReplyDelete
  23. Quando se gosta, podem-se passar connosco as coisas mais estranhas... como dar por nós a ouvir uma música que antes odiávamos, como reparar em coisas que antes não reparávamos (sim, agora n sei se é de estar mais atenta ou lá o que é mas...é impressão minha ou as lojas têm todas daquelas camisolas às riscas que ele adora??)... fazemos coisas que não fazíamos por mais ninguém (pessoalmente, comecei a estudar cadeiras de Engenharia Mecânica para poder dar uma ajudinha nos trabalhos - sendo que o meu Curso é Comunicação), damos por nós a ver o ecran do telemóvel de 5 em 5 minutos, a passar casualmente em frente à casa dele e tentar reparar se a luz da sala está acesa para mandar mais uma sms nem que seja a dizer "eu vi-te"...

    Adorei o teu texto, reflete cada segundo do que estou a passar.

    ReplyDelete
  24. Esta coisa de gostar de alguém é f...lixada! ;)

    Beijos *

    ReplyDelete
  25. Deve ser porque é a primeira vez que visito este blog e estou habituada apenas aos devaneios da rádio, mas não esperava um texto tão sério, sobre este tema.

    Gostar de alguém não é fácil, mas não gostar pode ser menos fácil ainda!

    ReplyDelete
  26. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  27. É a primeira vez que comento algo neste blog e realmente este texto tocou-me mesmo cá dentro. Apesar de ser apenas um jovem adolescente gosto imenso da minha namorada, aliás, digo até sem medos que a AMO, e neste texto está tudo expresso de uma forma impressionante. Parece que o próprio texto me estava a ler os pensamentos de tão acertado e directo que é. Muito bom texto sim senhor. Continue com o excelente trabalho capitão.

    ReplyDelete
  28. Realmente isto escrito pelo Alvim é de Louvar! lol
    Grande Alvim! Estás apaixonado! eheh!
    Tou à espera desse dia...
    Felicidades

    ReplyDelete
  29. Gostava que alguém gostasse de mim assim....

    ReplyDelete
  30. É verdade! Gostar de alguém é tão simples como isto. E nos dias de hoje e como descreves, é tão fácil perceber se esse alguém gosta de nós...

    ReplyDelete
  31. É bom gostar de alguém assim...de um modo arrebatador, a entrega incondicional...que nem tds têm capacidade...mas melhor ainda, é sentir q essa determinada pessoa nos corresponde....que existe uma química inexplicável...um sentimento de partilha, uma entrega dos dois, uma reciprocidade...uma intimidade e cumplicidade mútua, um olhar, um toque que fala por si mesmo... que não se consegue explicar,simplesmente sente-se!!....sentir q existe um cuidar e uma preocupação dessa pessoa por nós....em saber q estamos bem...pq afinal de contas, e acima de tudo sabemos e sentimos q essa pessoa nos estima genuinamente...e que simplesmente, gosta mesmo de nós...aquele gostar....que só alguns têm o privilégio de aceder....

    ReplyDelete
  32. Só existe esta forma de gostar, e permanecemos mesmo quando o outro não gosta assim... ou simplesmente não gosta.

    ReplyDelete
  33. é triste é alguém fingir/fugir de nós...

    bolas, és um tolinho mas qd pensas [o qu é raro :P] acertas!!!


    escreve mais um livro...

    ReplyDelete
  34. dá pa explicar-lhes melhor essa história de n ser verdade o facto de por vezes ou sempre nos apaixonar-mos pela pessoa errada.. a mim parece-me bem real (quer dizer n sei se é mais errada q outros ou n, pq na verdade não pago para ver.. mas sabemos, sentimos, ..ou n?..) n é q seja errada pelos seus defeitos em si (pq esses para quem gosta viram nada) é mesmo o facto de saber q essas características, defeitos, feitio o q quiserem, n vao permitir q essa pessoa goste de nós, a questão é só essa.. porque n verdade ninguém ama sozinho, ou melhor podemos até amar, guardá-lo cá dentro de nós quem sabe pa sempre (escondido até sem quase darmos por ele) mas ninguem quer estar sozinho, amar sozinho, n receber em troca o mínimo que seja que estipulemos que para nós é suficiente... e por isso talvez ande meio mundo ou até mais encostado em pessoal que nem de perto nem de longe ama, mas que nos devolvem em energia a alegria, energia que gastamos com o amor que trazemos no peito das pessoas erradas q realmente amamos.... explica lá isso do errado (se puderes é claro) como não é errado pessoas que não lutam por nós? que não dão valor ao q somos..pior os que dão e que se encostam na mesma, para mim são SEMPRE erradas.. existem, são bem reais e CROMOS DE PRIMEIRA!!

    ReplyDelete
  35. ah mas e essa conversa há sempre qualquer coisa que não deixa e mais n sei quê.. isto de pessoas erradas só existe ou só as vemos quando já não as amamos mesmo, ou para aquelas q mal conheçemos a mesma coisa..qd se gosta assim mesmo não se ve nada disso de tangas erradas, o q é isso.. pode se ver depois sim com os defeitos e babaab e ou amamos e queremos ficar ainda assim, ou o erro é tal que amamos na mesma mas queremos bazar.. eheh pancadas
    ou seja chega-se sempre à mesma conclusão.. pessoas erradas existem e são mesmo erradas porque se não nós nem sequer viamos que elas eram erradas ..ou n?
    a anónima de cima

    ReplyDelete
  36. Tens toda a razão. Quem gosta, gosta. Corre atrás. Não nega, não evita.
    Obrigada por pensares assim. É que há para aí uma nova moda de "magoadinhos da pila" que magoam mais do que propriamente estão magoados. O verso para ti, claro; também há algumas por aí...

    ReplyDelete
  37. Oh Alvim, é por estas e por outras que eu admiro o teu trabalho! No blog, escreves assim (se juntasses estes textos dava mais um livro, e eu comprava), na tv e rádio és... "assado" e eu ouço e vejo!

    ReplyDelete
  38. True, true, true. Tenho-me fartado de dormir com os telemóveis ao lado da almofada durante as últimas semanas. Sempre esperando a SMS ou o toque que nunca chega. E gosto mt de gostar, mas acho q estou prestes a perder de novo.

    ReplyDelete
  39. finalmente alguém que me entende! Até rimei! hehehehe!

    ReplyDelete
  40. Não me atrevi a ler todos os comentários, mas calculo que não haja muito a dizer.

    De facto, quando gostamos de alguém, nada, mas nada nos trava.

    Palavras sábias, as tuas!

    ReplyDelete
  41. Um coração quando se fecha faz mais barulho que uma porta....

    ReplyDelete
  42. Oh yeah!!!

    Por isso é que eu passo a vida a dizer que quando queremos mesmo estar com alguém, dá-se sempre um jeito de o conseguir, que não há trabalho ou compromissos que nos tirem o tempo!

    ReplyDelete
  43. Nem sei bem o que dizer... :) Não conhecia o teu blog Alvim, mas este texto veio parar-me ás mãos hoje... no dia certo, na altura certa! Porque estou farta de que não se saiba gostar assim...

    ReplyDelete
  44. está muito bom
    li isto no metro naquela coluna maravilha e agora vi aqui e nao resisti e li de novo..

    acho que devias era fazer sei la, começavas por fundar o jornal "O ELECTRICO" e fazias umas quantas colunas dessas maravilhas!!continua ;)

    ReplyDelete
  45. wow! fiquei surpreendida...

    parabéns!

    :)

    ReplyDelete
  46. Vim cá ter por via do blog duma amiga, que te transcreveu, e fiquei mais do que impressionado, fiquei sem capacidade para nada. Estou numa fase emocionalmente muito complicada da minha vidinha e estas palavras cairam que nem uma bomba. Devia haver um alerta na blogosfera para obrigar todo o mundo a ler textos como este. Parabéns e sobretudo obrigado Alvim. Subiste um milhão de pontos na minha consideração !!!!

    ReplyDelete
  47. Adorei mesmo :)

    Qualquer coisa q me prendeu ao ecran a ler o texto todo.

    Parabéns :)

    ReplyDelete
  48. alguém subiu pontos na minha consideração:-)
    texto muito bom e cheio de verdades

    ReplyDelete
  49. Onde é que eu já li isto?! :)
    Beijo*
    Sílvia

    ReplyDelete
  50. diz que até pensas, avim...
    obrigada pela dispneia transitória!

    ReplyDelete
  51. Este texto chegou-me hoje por mail atravez de uma amiga e até chorei.
    Não conheço outra forma de Amar que não esta. Choro, choro muito quando não sou amada assim. Diz-me uma outra amiga que me apaixono sempre pelos homens errados, mas eu continuo a pensar que não. Os homens pelos quais me apaixono é que não sabem ser realmente Amados. Desta forma sem desculpas, sem condições, sem restrições, sem culpas,sem infedilidades, sem mentiras. Simples mas é desta forma que quero ser amada.

    ReplyDelete
  52. Quando li este texto considerei-o como um sinal para 2008 que agora se inicia. Obrigada, Alvim! Vou guardar religiosamente este texto para não voltar cair no mesmo erro eterno!Quando o outro inventa desculpas, temos que seguir em frente e parar de perder o nosso precioso tempo em arranjar justificações utopicamente plausiveis para essas desculpas... Bom Ano!

    ReplyDelete
  53. mai nada!

    ReplyDelete
  54. Grande Alvim! é nesta forma desprendida e emotiva de expressar sentimentos, que se nota que deves ser uma pessoa maravilhosa e com um bom fundo! não sou nada lamechas, mas fiquei até comovido ao ver que não podias estar mais certo ao descrever o que descreves, e da forma como o fazes!!! sem duvida maravilhoso!!!

    ReplyDelete
  55. Alvim, queres casar comigo?
    É que é mesmo difícil encontrar um gajo a pensar assim, com esta clareza de ideias sobre a problemática do afecto.
    São tão sábias as tuas palavras que só lamento teres sido tu a escreve-las e não eu. Por isso, merecem uma cópia para o meu Circo... mas não te preocupes: direitos de autor serão devidamente respeitados.

    ReplyDelete
  56. Olá!

    Alguém me mandou, há minutos, este texto texto por email. Venho dizer-te que ele bem podia ser meu - no sentir, claro está, porque o estilo é teu... e cada um tem o seu! As tuas palavras caíram que nem uma luva no meu sentir (raiva?) actual.

    Sem mais...

    Bom fim-de-semana!

    P.S. - Dar-te-ás ao trabalho de ler o 64.º comentário?!

    ReplyDelete
  57. Se eu tivesse lido este texto há dois anos não estaria livre há 8 meses mas sim há 2 anos mesmo.
    Se ainda andava a cismar sobre o que é que havia de errado na minha última relação descobri agora... é que ele tinha sempre o telemóvel sem saldo/bateria/rede...
    Obrigada;)

    ReplyDelete
  58. Gostar de alguém não implica estarmos SEMPRE com essa pessoa, não implica que o resto do mundo deixe de existir! Gostar de alguém não nos obriga a fazermos TUDO juntos como se tivéssemos deixado de saber fazer coisas sozinhos. Podemos gostar de alguém e não ter vontade de estar SEMPRE com essa pessoa. Discordo deste teu texto e, permite-me uma crítica, acho que este gostar de que falas não é saudável, é doentio e castrador... E essas "desculpas" que referes não muitas vezes sinais de "dá-me um bocadinho de espaço", que geralmente não são entendidos e culminam num "só quero ser tua amiga..."

    ReplyDelete
  59. Just read this... perfect! It is the only way to love - to be available and accepting

    LOVE IT!
    :)

    ReplyDelete
  60. Só queria deixar o comentário 69!!!

    E já agora também gostava que a pessoa que eu gosto assim gostasse de mim assim, mas a vida é assim...

    ReplyDelete
  61. é mentira... não queria deixar o comentário 69

    queria era que a pessoa que eu gosto assim gostasse de mim assim

    ReplyDelete
  62. Quando se gosta de alguem...


    somos uma lampada oscilante

    antes que o sol se apague.

    somos o movimento livre

    entre a vontade a a consumação

    mas às vezes gostar de alguem,

    é uma estranha e subtil decisão.

    ReplyDelete
  63. "Quando se gosta de alguém temos sempre rede, nunca falha a bateria (...)" lol, é verdade!

    ReplyDelete
  64. Gostaria de que as coisas se passassem realmente dessa forma!

    Sou da mesma opinião, mas nem todos somos iguais!

    Há aqueles que amam de uma forma e há aqueles que amam de outra forma!

    Muitos parabéns. Gosto da maneira inteligente como tratas o português!!

    Ainda me lembro, há uns anos atrás, de esperar pelas 19h, para te (vos) ouvir na antena3!!

    Bem haja!

    ReplyDelete
  65. Simplesmente lindo! Escreves de uma maneira sublime, sensível, que toca mesmo cá dentro. Impressiona-me o facto de ter sido escrito por um homem. É tão duro, quanto verdadeiro o que escreveste. Embora seja fácil perceber que a tal pessoa não gosta de nós como nós gostaríamos que ela gostasse, nós achamos sempre que é difícil perceber isso, porque arranjamos constantemente desculpas para nós mesmos, só para não ter que interiorizar que realmente a pessoa não gosta de nós!

    Perfeito, parabéns!

    ReplyDelete
  66. Estou impressionada e eu não sou rapariga de me impressionar!

    ReplyDelete
  67. Está fantástico.. realmente não te imaginava tão... sentimentalista? será? lol Gostei muito do que li.. dou comigo a pensar que realmente gosto de alguém.. mas acho que não é um gostar correspondido.. paciência!

    **

    ReplyDelete
  68. Numa altura em que uma série de porquês sem resposta, são já a resposta... "senti" este teu texto de uma forma especial.
    E apenas digo que é brilhante... não apenas o texto, mas alguém "sentir" e expressar-se assim.
    Parabêns!

    Vou passá-lo, acho que vale a pena TODOS lerem as tuas palavras.
    Claro que mencionarei a fonte ;-D

    ReplyDelete
  69. Não vou:

    Linkar.

    Dizer que está perfeito.

    Dizer amén.

    Dizer que escreves maravilhosamente.

    Vou apenas dizer que gostar nem sempre é tão fácil e lindo como descreves - mesmo para quem tem a coragem de o fazer.

    Porque existe sempre o outro.

    As tuas palavras são bonitas e até poderiam ser verdadeiras, mas nem sempre são.

    Ou eu sou uma dessas pessoas com a irremediável alergia ao gostar?

    ReplyDelete
  70. Fabuloso. Nunca li nada tão acertado.

    ReplyDelete
  71. Fabuloso. Nunca li nada tão acertado.

    ReplyDelete
  72. No dia seguinte a este que JANE DOE said... tive uma espécie de amnésia ao inverso, recordei um amor platónico por acaso ocorrido num hospital entre mim e uma jovem enfermeira, isto aconteceu à 5 anos atrás, eu sofri muito por me ser diagnosticado uma psicose mas eu tenho a certeza que sou uma pessoa normal que apenas nunca conseguiu reaver esse amor.
    Ela chama-se Raquel é da figueira da foz e caso se lembre de um rapaz que sofreu uma alucinação (acidente aéreo vitimando os pais), que entre em contacto com o fernando alvim.

    ReplyDelete
  73. Meu caro, "caga" nisso e parte para outra, porque quem quer "ser gostado" (também) cria expectativas e fantasias de como e quando e não porquê...
    O texto tá interessante

    JMV

    ReplyDelete
  74. Já tinha lido isto em tempos, mas é sempre giro voltar a ler este texto...adorei!

    ReplyDelete
  75. Completamente de acordo! Não o poderias descrever melhor!

    Fantástico!Parabéns!

    ReplyDelete
  76. É incrível como este é um texto a que voltamos uma e outra vez... Um clássico!

    ReplyDelete
  77. "escolhemos aquela pessoa porque já sabíamos que não íamos a lado nenhum" -- uma frase profunda; sintetiza aquilo que muitas pessoas pensam mas que pensam que não pensam.

    Gostar não é só dizer: "eu gosto de ti... bla bla bla"... gostar é dar ao outro aquilo que ele precisa e só depois dar o que ele gosta.

    ReplyDelete
  78. Não acrescento nem um ponto. Completamente de acordo!!!!

    ReplyDelete
  79. Excelente Alvim...Obrigado por escrever algo que eu pensava, mas que pensava que estava errado ;)

    Abraço!

    ReplyDelete
  80. Alvim, continuo a ler e a reler este post vezes sem conta! A mentalizar-me do que é "ser amado de verdade"...obrigada! Este post tem servido de bengala para mim e amigas, muitas, muitas vezes!

    ReplyDelete
  81. Amei o texto. Neste momento toca-me bastante, pq até há bem pouco tempo tive alguem que "me amava" assim e que agora.... ??????????????? É o trabalho q anda apertado.... sim sim.... enfim. Custa, doi mto. Chego à conclusão que este tipo de amor muda de estado duma forma que eu não entendo.....

    ReplyDelete
  82. Alvim, li este texto há cerca de um ano e só hoje me decidi a escrever algo aqui. Sabia que este texto me daria imenso jeito!
    Escreves espantosamente bem!

    P.

    ReplyDelete
  83. Vera Leite OliveiraOctober 08, 2011 9:37 PM

    Querido Fernando Alvim, não o conheço pessoalmente, mas quem escreve assim não é gago!
    Um abraço!

    ReplyDelete
  84. ADOREI! Sovretudo porque é altamente refrescante ouvir alguém falar de sentimentos sem falsos pudores, com verdade e...pronto....gostei!
    Obrigada! :)

    ReplyDelete
  85. O amor é fodido ... "tenho dito"

    ReplyDelete
  86. e não há nada como... tal e qualmente

    ReplyDelete
  87. Era tão importante que isto fosse divulgado diariamente, consecutivamente e de leitura obrigatoria a todas as mulheres deste mundo!!!! Continuamos a inventar desculpas incriveis para não ver aquilo que é obvio.... que os homens são seres bem mais simples que nós e por norma só têm duas vertentes no que toca o amor: ou gostam ou não gostam.... e quando não gostam, nós mulheres, adoramos inventar desculpinhas e justificações, porque simplesmente não aceitamos que o objecto do nosso afecto, não está simplesmente interessado. Este post e o filme "He's just not that into you" deveria substituir todos os contos de princesas e principes...

    ReplyDelete
  88. Existe muitas formas de amar, em qualquer uma delas a entrega é grande.....O amor é sem dúvida lindo, se partilhado.....

    Será que ainda conseguimos ser tão altruístas....

    ReplyDelete
  89. Como complexo...aqui fica simples....:-) gostei muito
    VM

    ReplyDelete
  90. Para aqueles e aquelas que ás vezes perdem o norte, aqui está no mínimo uma bússola fantástica!!!
    Ás vezes basta um pouco de sorte para encontrar o que está dentro de nós e que muita vezes se esconde. Ou seja, as respostas para dissipar a mais pálida das dúvidas acerca de uma decisão tomada.
    Esse momento foi agora! :))

    ReplyDelete
  91. roubei e pus aqui : https://www.facebook.com/albertamf?ref=hl#!/albertamf beijnihos grandes :-)

    ReplyDelete
  92. Quando gostamos de alguém esgotamo-nos em dar tudo o que gostaríamos de receber de alguém que gostássemos que gostasse de nós!

    Mas por vezes percebemos que o que damos - e que gostaríamos por isso de receber - não se compagina com os desejos dessa outra pessoa, pelo que nem sequer a satisfaz. É então que percebemos que talvez não gostemos assim tanto dessa pessoa, ou que então gostamos apenas da imagem (errada) que fizemos a seu respeito.
    Mas não deixem de se derreter em mimos por quem gostam pois apenas dessa forma perceberão se estão ou não enganados. E quando receberem de alguém algo que não gostam, sejam sinceros pois só assim essas pessoas (que gostam de nós) perceberão que afinal não gostam.
    Eu percebo agora que só gosto de quem nunca poderá gostar de mim. E se essa pessoa eventualmente gostar, jamais me poderá dar aquilo que eu e ela gostaríamos de receber.
    Enfim, estamos a destinados a escolher o que sabemos que não queremos.

    ReplyDelete
    Replies
    1. Então...está a espera que essa pessoa lhe diga: "não gosto do que me dás!" para se aperceber que afinal não gosta dessa pessoa?
      Ou simplesmente não sabe o que quer? Quando a dúvida é : será que o meu amor é retribuído? é fácil encontrar resposta...quando a duvida é: será que é isto que eu quero? então não sabe o que quer, e a dúvida permanece...porque ainda não teve e sabe que não pode ter, porque sabe que não vai ter aquilo que afinal de contas, até nem quer...

      Delete
  93. É maravilhoso esta diversidade de opiniões.... sobre algo supostamente tão simples.... Se tu gostas, tu não consegues agir de uma forma controlada, independentemente das circunstancias, pois tu apaixonado ficas impulsivo, deverá ser das poucas situações em que (mesmo os mais tímidos, mais racionais) agem com o coração....Conseguimos conter palavras, até desejos, mas se o sentimento for puro, jamais conseguimos conter uma expressão, um olhar que nos denuncia, mesmo não querendo ser denunciado...Se o que sentes é mais racional, se te faz questionar, se te faz dizer oh não sei.... se te condiciona, então não estás apaixonado...

    ReplyDelete